Estamos migrando o conteúdo do antigo portal da PMPA. Se não encontrar o que está procurando, tente visitar o site antigo (link abre em nova janela).
Cultura

O moderno que eu faço em mostra na Pinacoteca

15/08/2018 13:12
Reprodução / PMPA
Gente de Circo, óleo sobre tela de Glênio Bianchetti é uma das obras em exposição
Gente de Circo, óleo sobre tela de Glênio Bianchetti é uma das obras em exposição

A nova exposição O moderno que eu faço – narrativas da experiência será aberta na terça-feira, 21 às 18h, na Pinacoteca Ruben Berta (rua Duque de Caxias, 973 - Centro Histórico). A mostra reúne obras produzidas por artistas brasileiros e estrangeiros sob a égide do modernismo, movimento cultural de múltiplas facetas que assolou o Ocidente na primeira metade do século 20. O acesso é gratuito e a visitação vai até 28 de setembro, de segunda a sexta, das 10h às 18h , último acesso às 17h30.

A proposta curatorial, levada a cabo pelos mediadores da Pinacoteca, equipe formada pelos acadêmicos Lubianca Montagner Weber, Lucas Bairros, Luiza Ferraz e Vitória Kotz Morlin,  é sustentada sobre narrativas desencadeadas pela experiência com as obras da Pinacoteca e na ação educativa com escolas e outros grupos que interagiram com a exposição “A Ventura do Moderno”, que ficou em cartaz até maio passado. 

Esse novo olhar lançado pela curadoria traz trabalhos e depoimentos gerados em conjunto com os visitantes, em oficinas e mediações, elaboradas dentro do espaço da Pinacoteca, tomando como princípio o material pedagógico desenvolvido na primeira mostra. A partir desse material e em colaboração com o projeto “Cidade das Crianças”, que teve como mote a utilização da imaginação para criação de anedotas acerca das obras do acervo, foram realizadas produções que farão parte da mostra.

Assim como os jovens curadores, que estabeleceram um discurso narrativo e um percurso ao longo das salas da Pinacoteca, diferentes públicos serão, ao longo da exposição, instigados a tecer suas próprias narrativas acerca das obras tomadas isoladamente ou sobre a exposição como um todo. Esta, composta por pinturas, desenhos e esculturas, abriga obras das décadas de 1940 a 1960, apresentando temáticas tais como figuras humanas, paisagens e abstrações.  

Artistas participantes
Alan Davie (Escócia, 1920 - Inglaterra, 2014)
Angelo Guido (Itália, 1893 - Pelotas, 1969)
Carybé (Argentina, 1911 - Salvador, 1997)
Chanina (Polônia, 1927 - Belo Horizonte, 2012)
Dora Cerruti (sem dados biográficos)
Fernando Duval (Pelotas, 1937)
Genaro (Salvador/BA 1926 - 1971)
Glênio Bianchetti (Bagé, 1928 - Brasília, 2014)
Hildegardo Leão Veloso (São Paulo, 1899 - Rio de Janeiro, 1966)
Ildeu Moreira (Belo Horizonte, 1920 – 1999)
Kasuo Wakabayashi (Japão, 1931)
Lucídio Leão (sem dados biográficos)
Maria Polo (Itália, 1937 - Rio de Janeiro, 1983)
Otaviano Furtado (sem dados biográficos)
Rubens Martins Albuquerque (Fortaleza, 1951)
Sylvio Jaguaribe Ekman (São Paulo, 1900)
Xico Stockinger (Áustria, 1919 - Porto Alegre, 2009)

Leia mais:
Clássicos na Pinacoteca apresenta A Arte do Cornet
Exposições, música e homenagem à Briane Bicca na Pinacoteca
Gravetos Armados em Processo na Pinacoteca

 

Denise Righi