Estamos migrando o conteúdo do antigo portal da PMPA. Se não encontrar o que está procurando, tente visitar o site antigo (link abre em nova janela).
Educação

Escola Ana Íris do Amaral supera meta do Ideb nos Anos Iniciais

05/09/2018 11:17
Aline Bisso / Arquivo PMPA
Educação
Também ultrapassou a média nacional, um fato inédito entre as 56 Emefs da rede

A Escola Municipal de Ensino Fundamental Ana Íris do Amaral, no bairro Protásio Alves, está em festa. Na avaliação dos Anos Iniciais (5º ano), a instituição superou a meta do Índice Nacional da Educação Básica (Ideb) e ainda ultrapassou a média nacional, um fato inédito entre as 56 escolas de ensino fundamental da Rede Municipal de Ensino. A escola saiu da nota de 5,1 na avaliação de 2015 para 6,3 em 2017, sendo que meta do país é de 6 para essa etapa. A Ana Íris, com 420 alunos e 42 professores, também suplantou o objetivo de 5,9 estabelecida pela prefeitura para 2020 no Programa de Metas entregue à Câmara de Vereadores. Os resultados do Ideb por escola foram divulgados na segunda-feira, 3, pelo Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e o Ministério da Educação.

“Nossa meta era chegar em 5,2. Ultrapassá-la e ainda ficar acima da média nacional foi uma surpresa. Nos preparamos para isso, é um trabalho conjunto, mas não esperávamos tanto e tão rápido”, comemora o diretor, Getúlio Fagundes. “Esse é o maior Ideb da história da Smed e se deve muito ao empenho do gestor da escola e sua articulação com os professores. Essa escola foi a primeira a aderir à nova rotina escolar no ano passado, com mais tempo para o aluno em sala de aula, e também participou do projeto piloto da prova de diagnóstico da Smed”, complementa o secretário municipal de Educação, Adriano Naves de Brito.

Diversos movimentos contribuíram para o resultado. Mas o principal, conforme a conclusão do grupo de professores e da equipe diretiva durante o momento de celebração da nota obtida, nesta manhã, foi a implantação do turno integral nos cinco anos que vão do Jardim A ao 3º ano. “Aqui ninguém sai mais cedo, é aula das 8h às 17h, com professores comprometidos e exceções apenas para alunos em adaptação. Esses estudantes chegaram ao 5º ano com mais oportunidades de aprendizagem”, diz Getúlio, destacando também que os problemas de evasão, déficit de aprendizagem e distorção entre idade e série, frequentes há cerca de quatro anos, estão significativamente reduzidos.

Outro fator decisivo, salienta o diretor, foi a capacidade de planejamento para mudar paradigmas aliada ao exercício “do poder de decisão para se implementar aquilo que se acredita ser o melhor para o aluno”. Essa equação vem permitindo alocar professores com perfil adequado para determinado tipo de turma. Após um remanejo interno, a turma do 5º ano que prestou o exame para o Ideb foi acompanhada por uma docente que trabalhou para familiarizar os alunos com as questões da prova, com simulados e atividades multidisciplinares. “Percebemos que eles sabiam o conteúdo, mas lhes faltava conhecer melhor o tipo de prova aplicada”, explica.

Getúlio ressalta que todos os movimentos deflagrados são permanentes na busca pela mudança de paradigmas. “Não trabalhamos exclusivamente pelo Ideb, a nota é uma consequência de uma equipe dedicada, que faz o seu melhor. Vivemos uma situação de crise nas finanças municipais, temos salários parcelados, mas não podemos nos deixar abalar e deixar de fazer aquilo nos compete”, finaliza. O diretor e sua equipe agora irão se debruçar em detalhes sobre a composição do Ideb para verificar no que é preciso avançar. Na avaliação do 9º ano, a escola teve uma intercorrência com os aplicadores da prova, que chegaram tarde e sem tempo hábil para que os alunos pudessem realizá-la.

Evolução das escolas da rede que tiveram pontuação do Ideb publicada pelo Inep para o 5º ano em 2015 e em 2017:

Emeb Dr Liberato Salzano Vieira da Cunha: 5,6 – 5,8
Emef Decio Martins Costa: 5,2 – 5,1
Emef Governador Ildo Meneghetti: 5,1 - 5,1
Emef José Mariano Beck: 4,6 – 4,6
Emef Leocádia Felizardo Prestes: 5,0 – 4,3
Emef Migrantes: 4,5 – 4,8
Emef Pepita de Leão: 5,4 – 5,4
Emef Porto Novo: 5,5 – 4,8
Emef Presidente Vargas: 4,6 – 5,1
Emef Professora Ana Íris do Amaral: 5,1 – 6,3
Emef Professor Gilberto Jorge Gonçalves da Silva: 4,5 – 4,9
Emef Rincão: 4,3 – 5,1

9º ano:

Eme José Mariano Beck: 2,8 – 2.6
Emef Lauro Rodrigues: 3,8 – 4,4
Emef Rincão: 3,4 – 3,8

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) é o principal indicador de qualidade educacional das escolas públicas e privadas do país. Calculado a cada dois anos, o índice combina informações sobre rendimento escolar com o desempenho em exames padronizados em Português e Matemática obtido pelos estudantes ao final de três etapas de ensino: 5º ano do Ensino Fundamental; 9º ano do Ensino Fundamental; e 3º ano do Ensino Médio.

  

 

Andrea Brasil