Estamos migrando o conteúdo do antigo portal da PMPA. Se não encontrar o que está procurando, tente visitar o site antigo (link abre em nova janela).
Educação

Escola infantil Tia Beth, na Bom Jesus, reabre com novo parceiro

22/03/2019 13:51
A Escola Comunitária de Educação Infantil (Ecei) Tia Beth, no bairro Bom Jesus, será reaberta nesta segunda-feira, 25, sob a gestão de um novo parceiro da Secretaria Municipal de Educação (Smed). A unidade, que funciona em prédio municipal, agora passa a ser administrada pelo Instituto Pobres Servos da Divina Providência. São 53 vagas, sendo 30 na faixa de zero a três anos e 23 na pré-escola (4 e 5 anos). O acolhimento das crianças está previsto para o início de abril, mas as famílias já podem procurar a escola a partir da próxima semana.
 
O termo de colaboração entre a Smed e o Instituto foi assinado nessa quinta-feira, 21, entre o secretário Adriano Naves de Brito e o representante da organização, Edson Luiz Zanella. Essa é sexta unidade escolar da rede comunitária de educação infantil que é gerida pela entidade, presente também nos bairros Lami, Restinga, Santa Tereza, Jardim Carvalho, Bom Jesus e Lageado. No total, são 580 crianças atendidas e 82 colaboradores.
 
Para assumir a nova escola, o Instituto Pobres Servos da Divina Providência atendeu a todos os requisitos legais, comprovou capacidade técnica e teve seu plano de trabalho aprovado. A região é considerada de alta vulnerabilidade, o que aumenta o valor do repasse mensal da Smed, que será de R$ 27.825, sendo R$ 525 o valor de referência pago por criança. O atendimento será de, no mínimo, dez horas diárias.
 
“Enquanto instituição, apostamos na parceria com a Smed e em seu projeto de atendimento em educação infantil, seja nas escolas comunitárias ou nas municipais. Buscamos somar esforços para uma educação de qualidade e que possa reverter os recursos investidos em benefícios para a sociedade”, disse Zanella. Já o secretário destacou a relevância do Instituto Pobres Servos para a rede comunitária, formada por 216 escolas. “Ao assumir mais uma escola, a instituição dá provas do trabalho competente que faz e sinaliza para a atratividade do projeto comunitário da secretaria para as organizações da sociedade civil”, comentou. 
 
A Ecei Tia Beth fechou no início do ano, após o falecimento da líder comunitária que dá nome à escola. Em decorrência, a Associação dos Moradores da Antiga Vila Divinéia, mantenedora da unidade, decidiu encerrar suas atividades e, em janeiro, devolveu o prédio à Smed. “Em respeito à comunidade, estamos mantendo o nome original da escola”, disse Édson Zanella.

 

Cristina Lac

Andrea Brasil